Aldo Cini é o novo Cidadão de Bento Gonçalves

por Assessoria de Imprensa publicado 27/06/2022 14h19, última modificação 27/06/2022 14h19
Emoção marcou a entrega do Título de Cidadão ao empresário que estava acompanhado de familiares, amigos e lideranças políticas, sociais e empresariais

O projeto que concede o título de Cidadão de Bento Gonçalves empresário Aldo Cini, idealizado pelo vereador Anderson Zanella (PP), subscrito e aprovado pelos demais vereadores da Câmara Municipal, resultando no Decreto Legislativo nº 133, de 09 de junho de 2022, culminou na realização da Sessão Solene na noite da sexta-feira (24), no Plenário Fernando Ferrari. Emoção marcou a entrega da outorga ao empreendedor acompanhado de familiares, amigos e lideranças políticas, sociais e empresariais. 

O presidente em exercício da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, vereador Idasir dos Santos (MDB), destacou a grata satisfação em fazer parte deste momento festivo. “Na ausência do presidente Rafael Pasqualotto, do vice Thiago Fabris, coube a mim ter a honra de presidir os trabalhos desta noite. Parabéns por essa merecida homenagem!” 

Para o vereador Anderson Zanella (PP), propositor da homenagem, “o Título de Cidadão de Bento Gonçalves é a honraria mais importante que esta Casa pode conceder a um dos seus filhos que aqui desbravou. Se Bento Gonçalves hoje é pujante, reconhecida mundialmente, no setor moveleiro, é porque alguém iniciou esse trabalho. E o seu Aldo Cini foi o fundador e o primeiro presidente da Movergs (Associação das Indústrias de Móveis do estado do Rio Grande do Sul), da mesma forma que foi presidente do Sindimóveis (Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves), foi a pessoa que levou para uma feira internacional, pela primeira vez, o nome de Bento Gonçalves”, enalteceu os feitos do homenageado. 

A entrega da outorga foi realizada pelo presidente em exercício da Câmara Municipal de Bento Gonçalves, vereador Idasir dos Santos, o prefeito Municipal de Bento Gonçalves, Diogo Siqueira, o vereador proponente da homenagem, Anderson Zanella, e o presidente do Rotary Club Bento Gonçalves, Irineu Pisani. 

Em seguida, o senhor Aldo Cini recebeu do Centro da Indústria, Comércio e Serviço de Bento Gonçalves (CIC-BG), através dos seus representantes, César Anderle e Ildoino Pauletto, uma placa comemorativa que reconhece os relevantes serviços prestados à comunidade, assinada pelo presidente do Conselho Superior do CIC-BG, Rogério Capoani, e pela presidente do CIC-BG, Marijane Paese. 

O Rotary Club Bento Gonçalves, liderado pelo presidente Irineu Pisani, homenageou o companheiro com a entrega do Boton Safira e o Certificado de Menção Honrosa do Título “Companheiro Poul Harris”, a maior homenagem concedida a um dos seus associados, entregue pelo companheiro Orides Rigo. Na oportunidade, a companheira Patrícia Dal Mass, presidente da Casa da Amizade, entregou à esposa do homenageado, senhora Ordália Cini, o Boton Safira, o Certificado de Menção Honrosa do Título “Companheiro Poul Harris” e as flores que representam sua dedicação filantrópica. 

Outras duas placas comemorativas foram entregues ao homenageado. “A visão empreendedora de Aldo Cini criou produtos e mercados. Seu pioneirismo e liderança foram fundamentais para o desenvolvimento da nossa região. Como presidente, conselheiro e colaborar atuante do Sindimóveis, contribuiu para união e o fortalecimento e a consolidação do mais relevante pólo moveleiro do país. Por todo esse legado nosso reconhecimento parece pouco, mesmo assim, muito obrigado!”, foram os dizeres gravados na distinção entregue pelo presidente do Sindilojas Vinícius Benini. 

“É uma honra ter Aldo Cini em nossa história. Nosso fundador e primeiro presidente. É um símbolo de talento e generosidade, pois dedicou a sua vida não somente a suas empresas, mas também ao desenvolvimento de todo o setor moveleiro do Brasil. Reconhecemos e agradecemos a sua inigualável e inspiradora trajetória”, foram os dizeres gravados na placa entregue pelo presidente da Movergs, Rogério Francio. 

Para o prefeito Diogo Siqueira “tudo que foi feito ao seu Aldo faz jus a este momento”, lembrando que “para uma pessoa ser homenageada ela tem que ter um feito muito importante. Ter sido muito importante para a sociedade para ter merecido uma outorga dessa. Tenho certeza que a dona Ordália, os filhos: Marcos, Carlos, Márcia, César e Cláudio estão muito orgulhosos”, celebrou o líder do Poder Executivo. 

“Hoje escrevemos mais um capítulo na vida de Aldo Cini, que resulta em um longo livro de muito trabalho e também de muitas conquistas. Uma homenagem que nasce do profundo reconhecimento por parte daqueles que tiveram e tem a oportunidade e a satisfação de conviver com meu pai. Seja no talento e ousadia para empreender, no legado como pai, como avô e bisavô, no amigo leal ou como um eterno apoiador da comunidade, meu pai é um homem que carrega, ao longo de seus 89 anos, um propósito em cada movimento que abraça. Um cidadão que luta pelas causas que acredita”, ressaltou o empresário César Cini ao falar sobre o legado construído pelo pai e a justa homenagem recebida. 

A Sessão Solene contou com a presença do vice-presidente em exercício da Câmara Municipal de Bento Gonçalves, o vereador Sidinei da Silva (PSDB), os vereadores Agostinho Petroli (MDB), Davi da Rold (PP), Valdemir Marini, vice-prefeito de Bento Gonçalves, Amarildo Lucatelli, dos secretários Municipais, Adriane Zorzi (Educação), Osmar Bottega (Meio Ambiente), Evandro Soares (Cultura), Carlos Quadros (Obras). Do presidente do Sindimóveis, Vinícius Benini, o presidente da Movergs, Rogério Francio, a presidente do Conselho Deliberativo da Abiomóvel, Maristela Cosin Longhi – também vice-presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul e presidente do Conselho Administrativo do Hospital Tacchini. O vice-presidente Financeiro do Sindilojas, Plínio Mejolaro, o 2º vice-presidente da CDL, Gustavo Cecon, do Bento +20, Roberto Mejolaro, representando o CIC-BG, César Anderle e o Conselho Superior do CIC-BG, Ildoino Pauletto. Rotarianos, representantes de veículos de comunicação do município e região, da esposa Ordália Navarini Cini, dos filhos César, Carlos, Cláudio, Marcos e Márcia, demais familiares e amigos. 

A Sessão Solene pode ser vista pelo Canal da TV Câmara Bento no YouTube.

Aldo Cini – Biografia 

Aldo Cini é um empresário brasileiro, que pertencente a terceira geração de imigrantes italianos que fixaram-se no Brasil em 1875. É o fundador da empresa moveleira Madesa, no mercado desde 1977. Formado em Administração de Empresas, foi o fundador e primeiro presidente da Movergs - Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul, presidente do Sindmóveis - Sindicato da Construção e do Mobiliário de Bento Gonçalves, assim como vice-presidente da Afam, hoje Abimóvel – Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário. Como atividade filantrópica, foi presidente do Conselho do Clube Aliança, presidente do Clube Escoteiros Ciretama e presidente do Rotary Club, todos da cidade de Bento Gonçalves. Atualmente, é sócio benemérito do Rotary Club de Bom Princípio, RS. 

História

Nascido em Garibaldi foi em Bento Gonçalves que Aldo Cini constitui família e empreendeu. Ainda pequeno, Cini foi morar em Carlos Barbosa, onde dividia seu tempo entre os estudos e a venda de doces na Estação Férrea. Para a família, trabalhar era algo muito natural e, dos 5 aos 9 anos de idade, ele já demonstrava o seu dom para o empreendedorismo. 

A família de Aldo, de origem italiana, era extremamente religiosa e, nesse contexto, a tríade: fé, família e trabalho era muito valorizada. Os pais, Ciro Cini e Rosa Cini, eram uma grande fonte de inspiração e a perda da mãe aos 7 anos de idade abalou profundamente essa caminhada. 

Aos 12 anos, o empresário foi morar em Bento Gonçalves e via um sonho sendo concretizado. Tinha uma notável admiração pelo pai e, no período da noite, ajudava na oficina fazendo horas extras. Essa experiência e convívio diário foram importantes para os posteriores trabalhos na funilaria e serralheria. 

Nos anos de 1940, surgiam novas tendências de leveza e sofisticação, fruto do século XX. Com isso, pai e filho foram em busca de novos produtos. Já em 1951, surgiu a ideia de trabalhar com móveis tubulares de metal. 

Aos 25 anos, Aldo casou-se com Ordália Navarini, sempre encarando e vencendo as dificuldades, tendo em vista a perda precoce do pai. Após, Aldo assumiu a empresa, que no ano de 1960 passou a se chamar “Serralheria Artística e Industrial Aldo Cini”. 

Em 1962, entendendo a necessidade de mudança e sabendo trabalhar muito bem com móveis tubulares, Aldo desenvolveu vários modelos de carteiras e mesas para os professores, focando no mobiliário escolar. Eram novos tempos em que tudo precisava ser adaptável. 

No ano de 1964, a razão social da empresa foi alterada para “Companhia de Móveis Aldo Cini”. Era preciso mudar para evoluir e, em 1967, Aldo dedicou-se à fabricação de móveis. Na década de 60, junto a essa mudança no nome, vieram os inovadores produtos em aço e fórmica, tanto residenciais, como escolares, além de cadeiras de estádios, como Beira Rio, Arruda, Rei Pelé e Morenão. 

Em 1973, Aldo Cini representou o setor moveleiro do Brasil ao expor seus produtos na Brasil Export, em Bruxelas, na Bélgica. No evento, conheceu expositores de países escandinavos que trabalham com móveis modulares produzidos a partir de madeiras de reflorestamento. Nesse momento, o empresário se encantou pelo Pinus e pelo seu uso em peças de design simples e bonito. Vislumbrando uma nova oportunidade no mercado, iniciou um novo negócio baseado em madeiras de reflorestamento (pinus), uma fábrica de acessórios de madeira maciça, que posteriormente passou a fabricar móveis. Nasceu, assim, a Madesa, fundada em 1977 com ideia de renovação. 

No final da década de 80, Aldo fundou Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (MOVERGS) - e se tornou o seu primeiro presidente. Presidiu, também, o Sindmóveis - Sindicato da Construção e do Mobiliário de Bento Gonçalves, e foi o vice-presidente da Afam, hoje Abimóvel – Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário. 

De 1987 a 1997, dedicou-se ao objetivo de fortalecimento do setor moveleiro. Havia criado empresas e empregos, além de promover uma iniciativa sustentável em produção de móveis, olhando pela natureza. Trabalhou ativamente pelo seu setor, erguendo estruturas e propondo uma política de crescimento. 

Nesse contexto, o DNA da família é bastante notável. Aldo afirma que herdou a inventividade e a grande capacidade de desenvolver produtos e processos para a indústria moveleira de seu pai, Ciro. E, assim como o pai, se declarava inquieto, sempre em busca do próximo desafio. Ciro tinha paixão pelo novo e não se fixava em nada, gostava de fazer de tudo um pouco, assim como Aldo. 

O empresário começou como serralheiro, foi para os móveis tubulares escolares, mobiliário esportivo, depois ampliou para os móveis domésticos e cozinhas. Além disso, em meados de 2000, criou uma empresa de estofados, a “Aldo Cini Móveis Finos”. 

Participações 

Aldo fundou várias entidades e atuou de forma ativa pelo fortalecimento do setor moveleiro. Nesse meio, aprendeu a lição da negociação, de ouvir o outro e ponderar o melhor caminho. Criou empresas e empregos, além de uma iniciativa sustentável em produção moveleira, focando na preservação da natureza. 

Em prol do seu setor, Aldo trabalhou forte em questões como o apoio à Feira Internacional de Máquinas, Matérias-Primas e Acessórios para a Indústria Moveleira. A FIMMA Brasil é uma feira profissional voltada para as indústrias produtoras de maquinário e materiais para as indústrias de móveis nacionais e internacionais, considerada a quinta maior feira do mundo neste segmento. Atuou ativamente, também, no apoio à Movelsul Brasil, maior feira de móveis da América Latina, voltada para as indústrias construtoras e revendedoras de móveis nacionais e internacionais. 

Premiações 

Ao longo dos anos, o empresário recebeu diversos títulos, premiações, homenagens de entidades de classe, Méritos Lojistas Nacional e Estadual. Em 2008, foi contemplado com o título de Cidadão Bom Principiense, pelo reconhecimento de sua trajetória na região. 

Por conta de toda a história no setor, em 2010, Aldo Cini recebeu uma premiação inédita das entidades MOVERGS, FIERGS, SEBRAE, SEDAI e SENAI/CETEMO, de Personalidade do Setor Moveleiro. 

Museu Aldo Cini 

O Museu Aldo Cini está localizado no Centro de Inovação da Madesa, que fica na parte administrativa do parque fabril, na cidade de Bom Princípio. A ideia é a preservação das memórias da trajetória de Aldo Cini, que se confunde com a própria história da empresa, assim como do setor moveleiro nacional. 

No museu, é possível entrar em contato com o olhar do empresário, que ia muito além do seu tempo, destacado através das peças e mobiliários inovadores para as décadas em que atuou. Através do museu, é possível acompanhar a história da Madesa, conhecendo de perto a variedade de produtos fabricados, bem como a sua evolução ao longo dos anos. 

Livro ‘Aldo Cini - Uma vida para empreender’ 

Aldo Cini dedicou-se a escrever suas lembranças, com o intuito de compartilhá-las com as gerações futuras e de eternizar os seus ensinamentos e o seu trabalho. O livro ‘Aldo Cini – Uma vida para empreender’ conta com entrevistas, somadas aos conteúdos do Museu Aldo Cini, trazendo um relato de sabedoria e experiência vivida. 

A obra reflete a maneira da família Cini de se envolver com o trabalho, baseada no foco e na dedicação, fruto da origem italiana. Nesse contexto, o livro apresenta a trajetória de Aldo, caracterizada por “um pé na ousadia e outro enraizado na prudência”, sempre enxergando as oportunidades, pois “foco é tudo!” 

Criação de produtos 

Ao longo da sua trajetória, o empresário criou uma variedade de produtos, sempre em busca da inovação, através de pesquisas e novas tendências, entendendo a necessidade de mudança. Com a experiência em móveis tubulares, criou classes escolares, mesas para professores, mesas de apoio e dedicou-se ao segmento. 

Naquele contexto, os móveis tubulares eram mais leves do que os tradicionais de madeira maciça e o acabamento em fórmica trazia versatilidade, além de praticidade: a fórmica era lavável e não riscava. Assim, Aldo começou a focar na fabricação de móveis. 

No ano de 1968, fabricou as cadeiras para o Estádio Beira-Rio. Além disso, foi convidado a fabricar as janelas e aberturas para a estrutura do Parque de Eventos de Bento Gonçalves, que até hoje promove os importantes eventos da cidade. 

Mais tarde, percebendo a importância do design, Aldo começou a produzir peças diferenciadas, como as cozinhas americanas. Nesse cenário, a cidade de Bento Gonçalves apresentava-se como a vitrine moveleira do país e a busca por inspirações era constante, visto que, criar ambientes modernos era um dos objetivos e considerado o futuro do ramo. 

Assim, a Cia de Móveis começou a considerar a possível fabricação das cozinhas componíveis, além de outros produtos inovadores para a época. Depois da participação no evento em Bruxelas, em 1973, mudou completamente a ideia de Cini para com o seu negócio, que, a partir de então, passou a utilizar o pinus como principal matéria prima. A madeira de reflorestamento passou a ser o foco central da Madesa. Nesse novo cenário, a cadeira dobrável foi o item mais vendido da história da empresa.

Saiba mais sobre o legado empreendedor de Aldo Cini, acesse: https://www.museualdocini.com.br/https://www.madesa.com/ e https://cinex.com.br/pt.