Dados do Revivi apontam que violência psicológica está presente em todas as agressões sofridas por mulheres que buscam atendimento

por Assessoria de Imprensa publicado 02/08/2022 13h07, última modificação 02/08/2022 13h07
Relatório foi apresentado em sessão ordinária dessa segunda-feira

Na sessão ordinária dessa segunda-feira (2), a titular do Centro Revivi e Coordenadoria da Mulher, Patrícia Da Rold, prestigiada pelo grupo de trabalho da rede de proteção à mulher e do Secretário de Esportes e Desenvolvimento Social (Sedes), Eduardo Viríssimo, apresentou o relatório dos atendimentos e encaminhamentos prestados às mulheres que sofrem violência no município.


A prestação de contas ocorre no mês em que iniciam as ações alusivas ao agosto lilás, mês de combate à violência contra a Mulher.


Da Rold explica que num comparativo com 2021, se nota um aumento nos atendimentos realizados pelo Centro Revivi. “Em 2021, foram 1592 atendimentos, este ano até junho totalizou 940. Visitas domiciliares, em 2021 foram 128, esse ano já chegou em 70. Busca ativa 5.108, neste primeiro semestre passou de 3 mil, ano passado foram contabilizados 3 feminicídios” pontuou.


Patrícia Da Rold observa que são registrados vários tipos de violências sofridas pelas mulheres, e que a violência psicológica acompanha todas as demais violências “nenhuma mulher relata ter sofrido uma agressão física sem ter sofrido uma psicológica, ou seja, nenhuma relata ter levado um soco, pontapé sem antes ter sido ofendida, ameaçada, xingada. Então a violência psicológica é maior e ela está presente nas outras também que são a física, sexual, moral, patrimonial”.


O centro revivi e coordenadoria da mulher trabalham em parceria com a rede de proteção existente em Bento Gonçalves, tendo a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, Patrulha Maria da Penha, Sedes e Promotoria.


No próximo sábado, dia 6, na Via Del Vino serão realizadas ações de combate à violência.

Acompanhe a explanação na íntegra aqui.